30/03/2018:

Reunião de Patah com dirigentes sindicais de Pernambuco


A Reunião de Ricardo Patah com os dirigentes sindicais de Pernambuco teve como tema a Conjuntura Atual do Movimento Sindical para buscar novas estratégias, ações e formas de negociação que levem o sindicalismo a sobreviver e a se desenvolver no País.

A União Geral dos Trabalhadores de Pernambuco realizou o encontro recebendo mais de 100 dirigentes de todo o Estado. A reunião ocorreu no Recife Praia Hotel durante a manhã de ontem.

Para a composição da mesa, foram convidados Ricardo Patah, Presidente da UGT, Jacira, Presidente da UGT-GO, Romero Baunilha, Presidente da UGT-PB, Dr. João Vicente Murinelli, advogado da FECONESTE, Sérgio Luiz, Diretor da CONTEC, Dr. Geovane Freitas, Superintendente do Ministério do Trabalho em Pernambuco, Gustavo Filho, Secretário Nacional da Juventude da UGT, e Gustavo Walfrido, Presidente da UGT-PE, que abriu o encontro agradecendo a presença de todos, alertando para a gravidade da situação imposta pela Reforma Trabalhista ao sindicalismo brasileiro e dando as boas vindas a todos.

Ricardo Patah palestrou sobre o “Movimento Sindical na atualidade – Qual a realidade e as expectativas para o futuro, para o movimento sindical e a Política do Brasil”. Na sua fala, ele diz que só podemos mudar esse estado de coisas em que está o Brasil “pelo voto e não pela militarização, como propõem alguns candidatos a presidente”. Ele ainda revela que “a desigualdade no Brasil é tamanha que a riqueza de uma elite de 5 pessoas no País é idêntica a de 100 milhões de brasileiros pobres”. Os sindicalistas aguardaram ansiosamente o momento da fala de Ricardo Patah, na qual ele também enfatizou que o sindicalismo está vivo e que a UGT continua procurando medidas para continuar em defesa do trabalhador e do movimento sindical e por acreditar que o sindicalismo é a maneira mais eficiente em garantir e conquistar direitos para os trabalhadores. “Não podemos perder nosso estímulo diante dessas dificuldades, pois o movimento sindical brasileiro é muito mais forte do que isso e todas as lutas e conquistas obtidas ao longo dos anos reforçam a importância do movimento sindical na defesa do trabalhador. Teremos dificuldades, sim, mas não morreremos”, conclui Patah, motivando a todos a se manterem firmes na luta.

Romero Baunilha, Presidente da UGT Paraíba, fez seu pronunciamento dando importância à unidade sindical, a unidade entre toda a classe trabalhadora, pois assim os trabalhadores terão força para combater a Reforma Trabalhista do Governo Temer que ele classificou como criminosa.

Sérgio Luiz, representando a CONTEC, afirma que a luta não acabou e que a contribuição sindical, embora opcional pela lei da Reforma, ainda continua, e por isso todos temos que andar de cabeça erguida e não podemos desistir de lutar.

Não podemos perder nosso estímulo diante dessas dificuldades, pois o movimento sindical brasileiro é muito mais forte do que isso e todas as lutas e conquistas obtidas ao longo dos anos reforçam a importância do movimento sindical na defesa do trabalhador.

Dr. Geovane Freitas, na sua palestra “Atuação do Ministério do Trabalho nos Dias Atuais”, afirma que se todo trabalhador bem soubesse ele seria sindicalizado, todo ele. Porque tudo o que existe de bom para o trabalhador se deve à luta do sindicato. “É verdade que existem alguns sindicatos que não merecem credibilidade e que acabam manchando a reputação do movimento sindical como um todo, mas são poucos, a maioria dos sindicatos trabalha para defender os direitos da sua classe”, conclui.

Dr. João Vicente Murinelli, advogado da FECONESTE, ministrou a palestra “Contribuição Sindical: Providências prévias e os resultados jurídicos até o momento”, na qual ele explanou graves aspectos jurídicos envolvendo a contribuição sindical pós reforma trabalhista e medidas preventivas que os sindicatos podem tomar para tentar assegurar a manutenção deste tributo.

Com a palestra “Novas Estratégias de Ação e Organização Sindical: uma nova visão do sindicato”, Gustavo Filho, Secretário Nacional da Juventude da UGT, apontou direções, possibilidades, dando uma verdadeira injeção de ânimo aos líderes sindicais, com a apresentação de um novo projeto com meios de garantir sustentabilidade aos sindicatos.

Ao fim da reunião, todos foram convidados para um almoço de encerramento no restaurante do hotel.