14/06/2019:


Uma reforma previdenciária que Bolsonaro quer empurrar goela abaixo dos brasileiros, sem diálogo com a sociedade, é uma ofensa ao trabalhador. Seus impactos causarão a miséria na população. É por isso que as centrais sindicais estão unidas contra essa reforma da morte, e joje realizaram uma grande manifestação pelas ruas do centro do Recife, reunindo mais de 20 mil pessoas.

UGT-PE, CUT, Força Sindical, NCST, CTB, CGTB, Interssindical, CSP/Conlutas, além de outras entidades de classe, partidos políticos, movimento estudantil, todos gritaram em uníssono "NÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA!"

É nas ruas que o povo mostra sua indignação e dá o recado a Bolsonaro: não aprove essa reforma. Converse com o povo e adote medidas que, ao invés de prejudicar, protejam quem trabalha. Não tire dos pobres para dar aos ricos. Governe com justiça e respeite o trabalhador.

Em todos os países onde foi implantado esse modelo de reforma previdenciária, o que se viu foi o fracasso nas contas públicas, o desespero dos aposentados e altos índices de suicídio na população acima de 65 anos. Diversos países que implantaram esse modelo furado hoje estão adotando a contra-reforma, como antídoto tardio para minimizar os prejuízos que a reforma causou.

O movimento sindical não descansará e nunca desistirá de defender a classe trabalhadora e os seus direitos. A UGT-PE não solta a mão do trabalhador por nada neste mundo.