30/09/2020:

Centrais se unem em protesto contra a Reforma administrativa de Bolsonaro e Guedes


Em ato simbólico realizado em frente à sede dos Correios, no cruzamento da Avenida Guararapes com a Rua do Sol, no centro do Recife, as centrais sindicais UGT-PE, CUT-PE, CTB, CSP/Conlutas, Intersindical e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo se uniram para protestar contra a reforma Administrativa do Governo Bolsonaro.

Essa Reforma Administrativa foi encaminhada ao Congresso Nacional e está recheada de artigos que põem em xeque a segurança e a estabilidade dos sevidores públicos e ainda conta com o apoio do Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Dentre os pontos mais cruéis da reforma, destacam-se:

  • Fim da estabilidade dos servidores;
  • Corte de direitos das categorias;
  • Desmonte dos serviços prestados à população, principalmente aqueles que a população mais precisa.

Acrescente-se ainda o congelamento dos salários dos servidores.

A PEC 32/2020, Reforma Administrativa de Bolsonaro e de Paulo Guedes tem objetivo único de prejudicar as pessoas mais pobres do País, como parte de uma estratégia maior, consistindo no sucatemanto da educação e da saúde públicas, sob falsos pretextos de corte de gastos, enquanto protege os privilégios da elite, composta em sua maioria por empresários e bancos, que em nada contribui para o desenvolvimento e para a melhoria da qualidade de vida do povo brasileiro. Portanto, esse absurdo é combatido por quem de fato cai em campo e defende a classe trabalhadora: o movimento sindical.

E assim as centrais fizeram o ato público em repúdio ao Governo Bolsonaro, inimigo do povo brasileiro. Elas uniram-se em defesa do trabalhador, de quem acorda cedo, tem mil e uma preocupações na cabeça e problemas para resolver, pega um transporte público caro, ineficiente e lotado para chegar ao serviço, cheio de contas para pagar, depende do SUS para receber atendimento em saúde, contando o pouco dinheiro que sobra para comer, já que Bolsonaro fez os preços dos alimentos subirem ao não proteger a produção e a demanda internas. A UGT-PE tomou parte na manifestação em fente aos Correios, com a presença dos diretores Luiz Nelson e Romero Mendonça, além de várias lideranças sindicais.